SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Digite o que procura

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Adolescentes convertem óleo de cozinha em combustível, e ônibus roda 7 dias

estudantes
Foto: Reprodução

Ouça POP Mais FM

Um ônibus andou por quase uma semana no interior do Paraná sem precisar ser abastecido. Isso foi possível depois que ele recebeu óleo de cozinha como combustível.

O óleo não estava puro, mas foi transformado em biocombustível por um grupo de garotas de uma escola pública que fica em Assaí, a quase 400 km da capital Curitiba.

No Colégio Estadual Conselheiro Carrão, Eduarda Priscila Miura, 17, Luiza Alves de Souza, 17, Leticia Ayumi Tazima Sato, 17, Eduarda Pietra Santos Paixão, 16, e Fabiane Hikari Kikuti, 16, criaram a “BIOSUN”, uma startup júnior que tem como missão dar um outro destino para o óleo de cozinha.

Foto: Divulgação

“A ideia das estudantes é transformar, com o apoio da prefeitura, parte dos ônibus escolares em uma linha específica que só opere com o biodiesel produzido por meio do projeto”, comentou Matheus Rossi, professor de química e física e também orientador do trabalho.

De acordo com o docente, essa é uma forma de solucionar o problema de descarte irregular do óleo de cozinha na cidade.

A universidade chega na escola

O BIOSUN foi realizado para um hackathon —uma maratona de programação— municipal e desenvolvido durante as atividades extracurriculares na escola que tem o ensino médio em tempo integral.

Por meio de uma parceria com a UFPR (Universidade Federal do Paraná), o projeto de iniciação científica teve acesso ao laboratório de química e os reagentes necessários da instituição para criar o biodiesel.

“Eu gosto muito da área de ciências da natureza, da vivência em laboratório e da ideia de trabalhar em pesquisas científicas para resolver problemas cotidianos. E o BIOSUN me permitiu experimentar tudo isso, bem como frequentar o ambiente em que pesquisadores trabalham diariamente”, contou Leticia Ayumi sobre a possibilidade de estudar em um laboratório de uma universidade.

Para a estudante Eduarda Pietra essa é uma oportunidade de colocar em prática conceitos aprendidos em sala de aula.

“Tem sido uma experiência incrível, especialmente porque sempre tive curiosidade na parte laboratorial e cresci ouvindo muito sobre a importância de ideias sustentáveis”, disse Eduarda Pietra.

Os próximos passos para o BIOSUN é expandir por todo o município o biodiesel criado pelas estudantes. E, para isso, o professor Matheus Rossi acredita ser necessário apoio também do setor privado, o que não acontece até o momento.

“Outros objetivos são encontrar parceiros, tanto na indústria química, visando obter reagentes e materiais no menor custo possível, possibilitando a produção de um biodiesel de bom custo-benefício, como também um investidor que proporcione a criação de um novo laboratório”, disse o docente.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Indicadas para você

NOTÍCIAS

Ouça POP Mais FM A matéria a seguir pode ser sensível para algumas pessoas. Se você está precisando de ajuda, ligue agora mesmo no...

ENTRETENIMENTO

Ouça POP Mais FM O nome do ator Manu Rios, muito conhecido por interpretar o personagem Patrick Blanco, na série Elite, da Netflix, foi...

NOTÍCIAS

Ouça POP Mais FM Um dos motoristas do presidente Jair Bolsonaro deu entrada em um hospital de Brasília apresentando problemas respiratórios, o que pode...

NOTÍCIAS

Ouça POP Mais FM A influenciadora digital e modelo OnlyFans Kerolay Chaves, 21 anos, viu seu nome tomar força nas web após declarar ter...

Copyright © 2020-23 | Revista 360º